VOA BRASIL COM DINHEIRO PÚBLICO

Ufa! A partir de amanhã, dia 28 de maio de 2009, passamos a não repassar parte de nossos ganhos aos Governos. Lamentavelmente, trabalhamos de 01 de janeiro de cada ano até o mês de maio para pagar impostos.

A questão não é pagar impostos. O que não concordamos é com a aplicação do dinheiro dos impostos, e sermos bi tributados quando somos obrigados a pagar por serviços que o Estado não oferece. Para ter alguma condição melhor, pagamos Plano de Saúde, colocamos filhos em escolas e creches particulares e pagamos o guarda de rua para ter o mínimo de segurança.

Dos impostos pagos pelos brasileiros 70% vão para Governo Federal, 5% vão para municípios e 25% por cento ficam com os Estados, de forma direta.

Depois de feitos os repasses aos municípios, o Governo Federal fica com 60%. Estados e Municípios ficam com 20% cada.

Feita a destruição dos impostos, os mesmos deveriam ser devolvidos com serviços à população. Só que, lamentavelmente, pagamos impostos de primeiro mundo e recebemos serviços de terceiro mundo. Ou seja: sem qualquer qualidade.

É com o dinheiro dos impostos que Deputados e Senadores viajam para o exterior com a família a passeio, alegando que estão a serviço, participando de congressos e eventos. Apenas para justiçar a viagem, pois, na maioria das vezes, os eventos em nada servem para o eleitor que ele, deputado ou senador, representa.

Sem falar das passagens para amigos, familiares, namorada, artistas. Sem falar das festas. Sem falar do pagamento de seguranças particulares para a própria empresa falida, etc, etc.

Graças que ainda isto não é toda a classe política. É a parte chamada banda podre.

É necessário que os políticos sérios tomem providências contra estes males. Câmara e Senado são muito importantes e por demais necessários para o País e para a Democracia.

Temos a obrigação de continuar a nos indignar e não só com esta farra do dinheiro público. Não podemos nos calar quando Prefeito, Governador ou Presidente nomeiam uma série de gente na máquina pública para pagar favores de campanha e depois negam aos cidadãos eleitores suas promessas por melhorar a saúde, a educação, o transporte e a segurança.

Nós do movimento sindical não podemos ficar a reboque deste ou daquele político ou partido político. Temos de, em nome de nossos representados, continuar a denunciar, reclamar e agir na defesa dos nossos direitos.

Nem que seja uma única voz, vamos continuar a denunciar este “Voa Brasil com dinheiro público”.

Lourival Figueiredo Melo
Presidente

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × três =