Força presidenta

A Eleição terminou no último domingo, dia 31 de outubro. Hoje o Brasil já conhece a sua ‘nova comandante’ que tomará posse em 1º de janeiro de 2011. Várias são as especulações a respeito do futuro de nosso País e diversos são os comentários e as indicações para todos os gostos e tipos.

A verdade é que estaremos saindo de um sistema de governar comandado por um Presidente que passou todos os dias de sua gestão realizando comícios e longas assembleias em cada canto deste País com diversos discursos e público.

Nossa futura Presidenta tem seu estilo próprio. Sendo mais comedida, administradora e centrada, ela é detentora de uma expressiva firmeza ao tomar posições, definir as formas de gestão e ao cobrar auxiliares e ministros. Por isto muitos a consideram durona, mas na verdade é outro estilo de Administração. Menos comícios, menos assembleias e mais ação, esta é a minha modesta visão sobre a nova Presidenta.

A todos os que gostam e não gostam de seu estilo, da sua história, que votaram e não votaram nela, cabe hoje torcer e procurar a ajudar para que se tenha um bom governo. Afinal, governar bem significa saldo positivo não para a Presidenta mais para o País.

Na democracia, passado a eleição, devemos respeitar o resultado. A maioria definiu e determinou nossa nova Presidenta, cabe a todos respeitar o resultado e dar tempo para que ela possa apresentar sua equipe, seus projetos e sua forma de governar. Não adianta boatos nem mentiras, agora é hora de pensar no País.

O tempo de debate e das críticas surgirá automaticamente pela forma de governo que ela determinará. Agora, fazer isto neste momento não é patriótico, é, no mínimo, irresponsabilidade.

Tomando como base o primeiro pronunciamento à nação, o resultado foi positivo. Seu estilo já foi mais calmo do que o antecessor, ocorreu respeito aos adversários e à mídia, às instituições constituídas e, principalmente, à liberdade de expressão. Não vimos uma posição acima do bem e do mal, a nova Presidenta adotou uma posição simples, que deseja realmente mudar o estilo de governar com respeito aos compromissos e, sobretudo, respeito aos contrários.

Isto é muito importante para se manter a democracia. O governante não pode desejar tutelar a tudo e a todos. É necessário o equilíbrio e a sabedoria de somar opinião e não de dividir o País entre posições sociais de seu povo. Ou ainda demarcar o que é ou não de um partido opositor e de partidos amigos, eliminando os adversários.

O debate, a crítica e a oposição são importantes para o País, pois o governante estará sempre sendo cobrado e estará atendendo cada vez mais e melhor, evitando as críticas e respondendo a oposição.

Desejamos a nova Presidenta muita força e sabedoria para compor sua equipe, algo que não será fácil em vista do número de partidos, incluindo aqueles que podem dificultar o trabalho de composição. Mas esperamos que a nova Presidenta possa realmente governar para os brasileiros e não para este ou aquele grupo político aliado. O povo brasileiro votou pensando nisto e é isto o que todos esperam.

por Lourival Figueiredo Melo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − três =