Lamentável atitude do Vice Presidente

É inaceitável que alguém, detentor de uma função pública como de Vice Presidente da República, vá a um programa de TV tratar sobre um assunto de ordem particular da forma que a fez.

Suas declarações foram ofensivas a uma série de mulheres que atuam em bares, restaurantes e boates deste País. Primeiro pela forma pejorativa que quis dar ao local chamado de ‘Zona’, segundo por desclassificar a mulher cuja filha questiona o seu reconhecimento como pai.

Sua frase “Todo mundo que foi à ‘Zona’ pode ser Pai” é lamentável. Primeiro que ninguém o levou, se foi até o local, fez de livre e espontânea vontade e, se teve relação, fez querendo fazer, sabendo onde e com quem estava fazendo.

O que não pode é querer agora, desclassificar primeiro o local e depois a pessoa. Trata-se de um ser humano que merece respeito.

As mulheres que estão em bares, boates ou nas ruas fazendo programas não obrigam ninguém a manter relação com elas. Fazem disto uma profissão por vários motivos e razões, e merecem respeito.

Em várias cidades, estas mulheres – em vistas de suas características – são procuradas por pessoas que desejam uma simples relação. Mulheres que muitas vezes passam a ser companhia de pessoas solitárias, que não conseguem ter e/ou manter um relacionamento por vários motivos.

É normal em cidades portuárias e/ou próximo às grandes áreas industriais encontrar a presença destas mulheres. Homens do mar, pessoas simples que atuam em grandes obras, muitas vezes buscam a companhia dessas mulheres.

Esta sociedade hipócrita e mentirosa gosta de atirar pedra, de ofender, desqualificar estas mulheres que, em alguns casos, são vítimas da própria sociedade, pela falta de oportunidade, necessidades financeiras ou ainda por serem enganadas pelos falsos agentes de emprego.

O Vice Presidente tentou demonstrar ser ingênuo com sua afirmação. Será que ele, com a idade que apresenta, não tem conhecimento de que uma relação entre homem e mulher, se não for observado alguns cuidados, pode gerar um ser humano, um filho? Seria ele um idiota, um inculto ou se faz de bobo?

Além de tudo, é no mínimo mentiroso, pois na própria entrevista ele fala que “não há uma pessoa que tenha dito que essa mulher foi vista comigo algum dia”, na mesma hora ele insinua que a suposta filha seria fruto de noitada.

Se nega a fazer exame DNA. Ora, se ele diz que nunca esteve com a referida senhora, porque o medo do exame?

Sua atitude como homem público incentiva outros homens a utilizarem do mesmo expediente, o que é lamentável, pois não basta ser homem na hora da relação, tem de ser homem para assumir suas ações e suas obrigações.

Entendo que o Vice Presidente possa até ter razão e estar descontente com o fato de ter vindo a público, mas ficou pior ele não ter buscado resolver a situação no próprio local e não dar esta infeliz entrevista.

por Lourival Figueiredo de Melo

Veja abaixo, matéria sobre os comentários do Sr. José Alencar durante entrevista cedida ao Jô Soares, veiculada pela TV Globo

TODO MUNDO QUE FOI À ZONA PODE SER PAI

Alencar insinua que suposta filha seria fruto de noitada
O vice-presidente José Alencar reagiu com ironia ao comentar o processo movido pela professora aposentada Rosemary de Morais, de 56 anos, que busca na Justiça um reconhecimento de paternidade. Em entrevista ao “Programa do Jô”, exibido nesta terça-feira à noite pela Rede Globo, Alencar descartou a possibilidade de se submeter a um exame de DNA. Disse ter frequentado a zona boêmia do município de Caratinga, em Minas Gerais, e sinalizou que poderia ter conhecido a mãe de Rosemary numa noitada.

– Como os próprios tribunais dizem, tem de haver indícios. Se fosse assim, todo mundo que foi à zona um dia pode ser (pai) – afirmou Alencar. – São milhões de casos de pessoas que foram à zona. Só que grande parte desses casos não tenham sido objeto de interesse, político e econômico.

De acordo com a versão apresentada por Rosemary à imprensa, sua mãe, Francisca Nicoline de Morais, teve um relacionamento com Alencar no início da década de 50, quando trabalhava como enfermeira num hospital em Caratinga. O vice-presidente contestou a história relatada pela suposta filha e considerou o caso uma chantagem.

– Não há uma pessoa que tenha dito que essa mulher foi vista comigo algum dia. Não há nenhum indício – disse Alencar a Jô Soares.

Na conversa, ele afirmou que a realização de um teste de DNA seria ceder a uma pressão sem ter motivos para isso. – Não vou me submeter a uma coisa dessas de forma nenhuma. Do contrário, todo mundo vai chegar e dizer: “você tem que fazer isso, fazer aquilo”. Como uma chantagem qualquer. Eu não estou habituado a ceder a chantagens.

Apesar das críticas ao processo, o vice-presidente ressaltou que, se Rosemary for de fato sua filha, pretende reconhecê-la: – Se ela for minha filha, obviamente será recebida de braços abertos.

O GLOBO (Caderno O País) – Quinta-feira, 05 de agosto de 2010

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

sete + 1 =