São eles que vão cuidar das verbas da Copa do Mundo e das Olimpíadas

Inicialmente temos a lamentar os fatos que enlutaram várias famílias no Estado do Rio de Janeiro.

Se temos a lamentar pela perda de vidas com o que ocorreu no Rio de Janeiro, temos também a obrigação de fazer uma reflexão sobre qual tem sido o papel dos governantes e o quê eles têm feito pelo povo.

Está claro que neste País os Governantes não têm programa de governo, ou seja, não têm projeto para o Estado, mas sim programas e projetos de fantasia que tem apenas objetivo de demagogia na busca de votos.

Ao ver as entrevistas tanto dos prefeitos como do governo daquele Estado, percebemos que eles fazem exatamente como têm feito vários políticos ao longo destes anos. Parece que acabaram de assumir o governo, que nada sabiam e que ainda estão em palanque fazendo suas campanhas.

A culpa está bem clara, é dos políticos deste País que quando são candidatos não apresentam programa com objetivos claros e quando apresentam fazem na verdade apenas uma peça de faz-de-conta.

Falo dos prefeitos, governador do Estado e até da Presidência da República. Sempre que ocorre uma tragédia ou alguma denúncia sobre obras vêm com discurso preparado: “Não podemos deixar que isto se repita” ou “Não sabíamos que aqui poderia ter este problema”.

Senhores, quando estas pessoas foram candidatas elas não montaram um programa de governo. Se fizeram, por que não consta do mesmo a questão destas famílias que vivem nas áreas de risco?

Eles não sabiam ou fizeram que não sabiam? No caso de Niterói o Instituto de Geociência da Universidade Federal Fluminense já havia alertado o problema há no mínimo seis anos. Em 2007 a mesma instituição alertou para 142 pontos de risco em 11 regiões, cinco das quais agora fortemente atingidas pelos deslizamentos.

Somente após todos os tristes fatos é que surgem novamente as promessas ou as críticas ao passado. Mas também eles não fizeram nada desde o dia em que assumiram seus cargos, no mínimo uma visita pela cidade para examinar seus problemas.

O prefeito e governador não tiveram tempo de visitar estes locais, mas tiveram tempo para gastar dinheiro público com viagens por diversos países ou fazer ação demagógica com vários figurões do Esporte para pedir a Copa do Mundo e as Olimpíadas.

Para isto têm tempo e dinheiro. Não têm dinheiro para moradias populares, mas têm e querem mais dinheiro público para construção de estádios de futebol e equipamentos para as Olimpíadas.

Já para pleitear estes eventos foram montadas equipes de trabalho, viagens e mais viagens. Não sabemos até hoje quais os valores gastos com as despesas.

Festa, gritos, abraços e saudações falando indevidamente em nome do povo brasileiro: todos querem a Copa e as Olimpíadas. Mentira! E vem mais e mais mentira: que os jogos darão crescimento ao País, que serão feitas várias obras na área do transporte e comunicação. Falam como se todos os problemas do povo serão resolvidos. Mentira!

Falam que estes jogos trarão dividendos, pois teremos um número muito grande de turistas. Outra mentira. Vejam o caso da próxima Copa do Mundo, onde já existe uma série de problemas: não haverá o número de turistas esperado e os trabalhadores, principalmente os funcionários públicos, tiveram que fazer greve para exigir respeito pelos péssimos salários que recebem. Não têm dinheiro para pagar salários, mas têm para construir verdadeiros elefantes brancos que depois ficam sem uso.

É isto que esta gente quer fazer no Brasil. Estes que foram pedir a Copa do Mundo e as Olimpíadas sabem para quê construir elefantes brancos: para gente ganhar dinheiro.

Ocorre que o Governo assinou documento dando isenção total à FIFA, seus parceiros comerciais e empresas que irão trabalhar nos eventos, inclusive às redes de TV e outros. Os técnicos da Receita Federal foram contra este tipo de compromisso, mas como estes políticos não respeitam as informações técnicas, dão isenção e depois reajustam os impostos do povo brasileiro. Continuaremos sem moradia digna, saúde de qualidade e escola porque teremos que pagar as contas da Copa do Mundo e das Olimpíadas.

Esta gente está com apetite em construir estádio de futebol e comprar equipamentos esportivos com dinheiro do povo via BNDES, não para uso do povo, mas para beneficiar parceiros como já fizeram no Pan Americano do Rio.

Aliás, são os mesmos do Pan Americano no Rio. E onde está a prestação de contas? Quanto custou para o povo este evento?

São sempre os mesmos.

Lourival Figueiredo Melo
Presidente da FEAAC

Reproduzimos neste espaço artigo de Mauricio Godinho Delgado, Ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), publicado na Revista LTr de agosto de 2009.

Lourival Figueiredo Melo

Presidente da FEAAC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 5 =